3 de novembro de 2009

ponto paina


















tupi or not _ homenagem a yayoi kusama e os dots

um papel branco é perfurado utilizando a pequena máquina-ferramenta de criar formas redondas brancas, micropontos que, com saliva, são sobrepostos ao rosto e ao corpo.
o espelho redondo - possível ponte entre externo e interno, reflexo do ver-se e do preparar-se para ser visto - intercala figura e paisagem.
painas, também brancas, esfregadas e espalhadas no vestido tomam aderência enquanto são dissolvidas no vento, propagadas no espaço.
outro pequeno utensílio tenta apagar os vestígios da roupa como se pudesse desfazer o tempo.



intervenção no arte na praça
circuito independente - festival jambolada 2009

fotos de castor, guara, ricardo

5 comentários:

Cássia Nunes disse...

pontuando a face com imagens acidulantes
cobrindo a grama com celulose industrializada
até criar um porto nas mucosas
vale repetir noutros jardins
que acha?
.
..
as letras de confirmação desta msg foram aness

Cássia Nunes disse...

pra uma outra seriam anirsi

danislau disse...

bonito demais, aninha

previ tudo isso, aquele dia

q eu te vi com esse vermelho todo por cima da grama verde e vc já tava no aprontamento da ação

eta

rabisca mesmo sobre o muro do tempo, q é bom

Samuel Giacomelli disse...

Coisa linda!
Eu estava por lá e não vi!
Como faço isso!?
Des]
[encontros continuos!
Vamos...

Cássia Nunes disse...

ana é música
e muitas